Apologias ridículas

Hoje lembrei da música do Nirvana, que diz "why sould I be all apologies?", e de certa forma eu me identifiquei. Eu sei que vai ter gente me odiando por causa desse post, mas eu quero apenas expressar minha opinião e como eu me sinto.

Dias atrás, li um post no blog do Felipe Neto, o Controle Remoto, em que ele reclamava do quanto nós, os heterossexuais, estamos sofrendo com uma inversão de valores, em que quem não apoia o homossexualismo é praticamente marginalizado nos dias atuais.

De certa forma, eu me sinto assim também na maioria do tempo, e em relação a diversas questões.

Hoje travou-se uma discussão aqui no trabalho a respeito da legalização da maconha. E eu vou dizer a real: eu sou contra. Sim, assim como eu adoraria que aprovassem de vez uma lei federal antifumo, a exemplo da lei estadual recentemente sancionada no estado de São Paulo.

E eu vou falar a real. Eu, como não-fumante, me irrito profundamente com pessoas fumando ao meu lado. Sim, fede. Sim, incomoda quem não fuma. Sim, arde o nosso nariz quando somos obrigados a inalar a fumaça do cigarro alheio. Porque quem fuma não se incomoda com uma pessoa não-fumante ao seu lado, afinal de contas, não estamos fazendo nada que disturbe a sua paz. Mas nós, não-fumantes, não temos escolha, respirar é inerente à nossa sobrevivência, portanto muitas vezes não podemos escapar. E quem é que SEMPRE tem que sair de perto nesses casos? Sim, nós, pois os fumantes não se tocam.

Eu acho um absurdo imenso que em determinados lugares fechados -- como baladas e afins -- ainda se possa fumar no interior, visto que a maioria tem ar-condicionado e, portanto, não ventila. Além de cigarro ser nojento, é uma questão de saúde. Você, fumante, inspira toda aquela toxicidade com filtro. Nós, sem. Vocês sabiam que 2% dos casos de câncer de pulmão ocorrem em fumantes passivos? Ou seja, naquelas pessoas que, assim como eu, detestam cigarro, mas por conviver perto de fumantes, acabam sendo vítimas dessas porcarias todas contidas naquele rolinho pelo qual vocês pagam uma fortuna para autodestruir sua saúde (e a nossa).

O pior de tudo é que muitos fumantes são mal-educados. A atitude de sair para longe ao acender um cigarro deveria ser automática se você está perto de pessoas que não fumam. Queria ver se eu parasse do seu lado e começasse a peidar. Você não ia gostar, não é? Pois é.



Agora, entra essa questão da maconha. SUPONHAMOS que a maconha venha a ser legalizada e tratada da mesma forma que o cigarro. Eu me sentiria profundamente incomodada e desrespeitada se um maconheiro (ou maconhista), ou fumante de maconha, ou seja lá que porra de nome darão para os fumantes-de-maconha-legalizados, acendesse um baseado do meu lado no restaurante, no ponto de ônibus, ou em qualquer outro lugar. Eu não gostaria de chegar ao trabalho com aquele cheiro impregnado na minha roupa, e eu acharia tremendamente absurdo um colega de trabalho chegar à empresa chapado e fedendo a maconha. O cheiro do cigarro por si só já me incomoda. Imagina o seu colega de trabalho -- que sai para fumar a cada 15 minutos -- ir "dar um tapinha" no meio do expediente.

Como seria feito esse controle?

Não vou entrar no mérito do homossexualismo hoje, como eu citei no começo do post, mas é mais um tema que eu vou querer debater aqui mais pra frente.

Sobre essa questão da maconha, sinceramente, eu não vejo uma forma de isso ser feito sem transformar-se num transtorno até mesmo pior que o dos cigarros convencionais.

Desculpem-me os fumantes, eu não "odeio" vocês, até mesmo porque meu próprio pai é fumante, mas ele sabe muito bem o quanto eu reprovo esse vício dele, que, sim, é possível de largar.

O que eu quero dizer aqui, afinal de contas, é o quanto nós, pessoas "normais", estamos sendo a cada dia mais reprimidas numa sociedade hipócrita que vem tentando promover uma "igualdade" impossível. Eu não acho que sou retrógrada, talvez seja um pouco conservadora, mas eu não quero chegar ao ponto de ter de me trancar em casa por não ter mais opções para onde sair no final de semana sem ser incomodada pelo cigarro ou possivelmente pelo fedor (SIM, MACONHA FEDE A PODRE) de um baseado sendo queimado do meu lado.

8 transtornados opinaram:

Sah disse...

Eu concordo com muita coisa que vc disse. Apesar de ser fumante, sei que as vezes somos muito sem noção. Sou totalmente contra a legalização da Maconha, acho que tem coisa muito pesada por trás disso, mas não apoio a lei antifumo por um único motivo: não podemos ser marginalizados pelo nosso hábito, mesmo que ele seja péssimo. Sou a favor de áreas para fumantes e não fumantes, de fumódromos e quem não respeitar isso aí sim deve ser punido, pois existem muitas pessoas que não respeitam ( fumantes, óbvio ) como já existem. Não se pode culpar todos por conta de meia dúzia de inconvenientes.

Ótimo Post!

Beijos!

Sah

Jean Grey disse...

Sim, Sah, eu acho corretíssimo haver áreas para fumantes, de preferência locais confortáveis e climatizados, e não aqueles chiqueirinhos muitas vezes sem ar-condicionado que vemos em tantos lugares. O que me incomoda são os fumantes que acabam baforando na nossa cara, como se a gente fosse obrigado a aturar.
Além disso, é comprovado de que a maconha é a porta de entrada para muitas outras drogas. Se legalizar a maconha, daqui a um tempo vão querer também legalizar a cocaína, o ecstasy, o haxixe, a heroína, e por aí vai.

F. disse...

Legalizar a maconha? JAMAIS!! Me dá uma dor de cabeça aquele cheiro, aff. Bem como vc disse, se cigarro já é ruim, imagine um cara doidão te enchendo o saco no trabalho ou na faculdade?
Ninguém merece!!

Irmãs disse...

Jean, eu não baforo na cara de ninguém viu! ( risos ) No meu caso, essa lei não vai mudar em nada a minha vida, pois só fumo em casa, na rua e na casa da minha mãe! Dá pra ter vida social com um bebê de 11 meses? ( risos )
Sobre a maconha, o que eu penso é o seguinte: Vicia sim, com o tempo vc tem perdas de memória sim e o que acontece é que aquela sensação boa de quando vc começa a fumar vai desaparecendo, então, aí entram as outras drogas. Se legalizar a maconha, o trafico das outras drogas irá aumentar. E tudo o que vem junto disso também!

Sah

Nós disse...

Sou fumante, mas concordo plenamente com você, e olha que essa lei nova só está me ajudando controlar e eliminar o vício!

beijos = )

Nanau disse...

Esse mundo politicamente correto tá uma droga. Você não pode dar sua opinião nada que surge lá um carinha querendo te processar.
Não tenho nada contra fumantes, mas tenho tudo contra o tabagismo.
Isso que é difícil das pessoas entenderem hoje em dia. Separar as pessoas de seus atos.

Liana disse...

1- maconha NÃO é porta de entrada pra outras drogas (a maioria dos q fumam NÃO passam a consumir outras drogas). Mesmo assim, sou contra legalizar (Brasil não temos estrutura e nem 'educação' pra fazer isso corretamente). Sou a favor de descriminalizar, o q é muito diferente (minha posição sobre o aborto é a mesma - contra legalização, mas a favor da descriminalização).

2- fumante é um saco mesmo, eu já fumei e eu mesma tinha vontade de matar meus amigos fumantes. Se eu, quando fumava, me incomodava com os fumantes 'sem-noção', imagine os não fumantes. E sou meio contra essa lei de SP (somente pq acabou com os fumódromos, pq no tocante a proibir fumo em locais fechados sou totalmente a favor).

3- eu acho q as pessoas deviam fazer como eu. O dinheiro q eu gastava por mês com cigarro agora é gasto pagando academia (não fico fedida, e ainda fico mais bonita).

disse...

Concordo muito com o que vc disse. Sou fumante e sei que as vezes a maioria é sem noção. Eu pelo menos me controlo, fumo mais em casa, quando saio dependendo do local nem levo cigarros se sei q a maioria é não fumante, enfim, coisas pra melhorar o mundo.
Agora legalização da maconha? NUNCA!
Sou assistente social - preciso dizer mais?
Beijos e parabéns pelo espaço.

Sou sempre eu mesma, mas não sou sempre a mesma!.
 
Copyright 2009 tRaNstoRno muLTipoLaR All rights reserved.
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress Theme by EZwpthemes