Academia

Até pouco tempo atrás, eu me sentia mal por ser uma pessoa sedentária. E até fazia piada com isso — embora não tenha nada de engraçado em subir uma escadaria e chegar ao topo ofegante. Eis que, então, incomodada com o "pneuzinho" a cada dia mais saliente ao redor da minha cintura, e incentivada pela minha mãe, resolvi começar a malhar.

Na verdade, também fui incentivada pelo fato de que tenho 22 anos e a disposição e a postura de uma sexagenária. Sabe quando você sente que seu corpo está travando e que você está ficando a cada dia mais contraída de tanto passar horas e horas em frente ao computador? Pois é. Essa vida "moderna" me fode.

Mas, voltando à academia. Obviamente, na minha avaliação física deu tudo péssimo. Resistência física muito fraca; flexibilidade muito ruim; excesso de gordura; e pouca massa muscular. Excelente.

Então, comecei. No início, foi aquela empolgação. As aulas de jump eram muito divertidas (embora a taquicardia me fizesse pensar que ia morrer, e meus joelhos doessem por pisar errado, e meus pés formigassem sabe Murphy Deus por quê).

A musculação também me parecia muito interessante. Quase pulei de alegria quando passei dos 10 quilos na adutora e abdutora (que eu fazia com muito custo) para 20 quilos, que eu passei a levantar tranquilamente. Uau. "Vou ficar gostosa", pensei.

Mas tudo que eu conseguia era ficar dolorida. Muito dolorida. Aos poucos, desisti do jump, pois ferrava meu joelho toda vez. Resolvi ficar só na esteira, bicicleta e musculação. Mas eu odeio a musculação para o braço, e então, nos dias em que eu tinha que malhar braço, geralmente eu faltava.

Sem contar que meu trabalho é meio complicado, porque volta e meia (dia sim dia também) eu saio mais tarde que o horário definido em meu contrato, e aí ficava muito tarde para ir para a cadimia. E além disso, passar a tarde toda sem comer me deixava um pouco sem energias para puxar ferro, sabecomé?

"Mas vai valer a pena. Minha perna parece até que está mais durinha", eu insistia.

Depois, encasquetei que o problema era a academia onde eu malhava. Fechava muito cedo para o meu ritmo de vida (que é não ter tempo pra nada), era pequena e os aparelhos estavam sempre todos ocupados, o que me desanimava, por ter de ficar esperando.

Ok, troquei de academia. "Uau, essa sim é boa. Fecha mais tarde, tem mais aparelhos, é grande", pensei. Não deu duas semanas e eu desisti de novo.

Cheguei a uma triste conclusão: o problema sou eu. Porque eu odeio, odeio, odeeeeeeeeeeio malhar. Odeio suar. Odeio levantar peso (porque dói pra caralho). Odeio ficar dolorida no dia seguinte. Odeio "perder" mais uma hora e meia do meu dia numa coisa que não me dá prazer e chegar em casa praticamente no horário de ir dormir, ou seja, não poder fazer nada que eu quero e gosto, só o que eu preciso.

O pior é que minha auto-estima não está lá essas coisas. Eu preciso melhorar minha postura, acho minhas pernas muito finas, a barriguinha de chopp já está muito saliente. Eu preciso emagrecer e ganhar condicionamento físico. Mas será que não podia existir um jeito mais facinho, não?! Tipo aqueles AB Toner, só que algo que funcionasse de verdade?

Porque eu gosto mesmo é de comer, de preferência alimentos nada light, como pizza, churrasco, batata frita, e a santa cervejinha. Será que estou fadada a virar uma obesa moribunda?

7 transtornados opinaram:

Liana disse...

é... tb sou fã de pizza... e só frequento academia praa queimar os milhões de pizzas e chocolates e cervejas q entram. Não fosse por isso, eu estaria uma baleia orca.

Palavra de Mulher disse...

hahaha.. tb não gosto muito de academia. Mas com o tempo você começa a se acostumar e sentir falta. [estou sem ir desde quarta por causa de uma conjutivite]. Você poderia contratar um personal bem bonitão como estímulo. Ou ainda chamar uma amiga pra malhar. Se não der certo, você deveria procurar outra coisa pra fazer. Dança de salão é uma ótima pedida. É super gostoso de estar lá. você desestressa e se movimenta.
Beijos e espero que consigas sair do sedentarismo total.

Jean Grey disse...

Pois é, eu chamei uma amiga. Mas depois ela começou de frescura, que não podia no horário que eu ia, que ficava tarde pra ir embora (sendo que eu dava carona pra ela), e bla bla bla, daí começou a ir de tarde. E novamente eu fiquei sozinha.
Realmente, uma companhia torna as coisas menos chatas, né... mas vamos ver, estamos eu e uma outra amiga minha tentando tomar coragem pra recomeçar! hehehe

Mel disse...

Academia... o que é isso??? rsrs

Nossa, já comecei e parei milhões de vezes, agora encasuqetei em fazer caminhada, mais nas manhãs frias meu edredon me agarra de uma tal maneira que não tenho como sair... rsrs

Na verdade é porque estou incomodada, mais não ao ponto de mudar meus abtos - isso é ruim, but...

Aproveitando, tem um prêmio pra você na no blog, passa por lá depois para pegar.

Bjs, e uma boa semana pra ti.

Palavra de Mulher disse...

hum.. entendo.
é bom qd vc se eneturma com o povo. é muito difícil manter o estímulo [pra qlqr coisa na vida, principalmente atividades q não achamos prazerozas. mas vá lá.]
boa sorte.

beijos

Rose Carreiro disse...

Cara, vc = eu. A diferença pode estar nas pernas, as minhas tão roliças. mas de resto, td igual. Ai, churrasco =)~~~~

Anônimo disse...

Jean
Faça um esporte que você gosta...
Puxar ferro e correr olhando pra parede realmente são de um tédio mortal.
Depois que me engajei na natação não parei mais, fiz até umas travessias (competições). Posso até fazer outras atividades, mas ficar sem nadar agora é impossível pra mim. E olha que tenho uns aninhos a mais que você (tenho 37) e uma vidinha bem corrida também rsrs
Bjs
Lyla

Sou sempre eu mesma, mas não sou sempre a mesma!.
 
Copyright 2009 tRaNstoRno muLTipoLaR All rights reserved.
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress Theme by EZwpthemes